Blocos afro aquecem tambores em ensaios para o carnaval de Salvador 2014.

17:55


Uma das novidades da folia momesca de 2014 na capital baiana, que tem como tema “É Diferente, É Carnaval de Salvador – 40 Anos de Blocos Afro”, é a criação do Afródromo, que vai invadir o circuito Osmar (Campo Grande/Praça Castro Alves) no domingo, segunda e terça-feira de festa, a partir das 18h30. A manifestação artística contará com alguns dos principais blocos afro da cidade, que já aquecem os tambores nos famosos ensaios de Verão, sempre contando com a presença de convidados especiais.

Ilê Aiyê – Mais antigo de Salvador, o bloco Ilê Aiyê foi criado em 1974 com o objetivo de preservar, valorizar e expandir a cultura afrobrasileira. A partir desse movimento, a musicalidade do carnaval da Bahia passa a ganhar novos ritmos oriundos da tradição africana, além de proporcionar ao público um espetáculo rítmico-musical e plástico, com a batida marcante da Band’Aiyê e a beleza dos dançarinos daquele que é conhecido como “O Mais Belo dos Belos”. O bloco possui hoje cerca de 3 mil integrantes e, em 2014, traz o tema “Do Ilê Axé Jitolú para o mundo. Ah se não fosse o Ilê Aiyê!”.

A Senzala do Barro Preto, sede do bloco localizada na Ladeira do Curuzu, no bairro da Liberdade, é palco dos ensaios pré-carnavalescos desde dezembro, sempre aos sábados, a partir das 22h. O próximo encontro acontece no dia 25, tendo como convidados os grupos Filosofia de Quintal e Fora da Mídia, além do cantor Décio Luiz, com ingressos a R$40 (inteira). O ponto alto da programação será no dia 8 de fevereiro, com a escolha da rainha e das princesas do Ilê Aiyê na 35ª Noite da Beleza Negra, que será animada pelas bandas Aiyê e Fundo de Quintal, além do DJ Branco.

Olodum - O Olodum, que tornou o samba-reggae um ritmo conhecido mundialmente, prepara um Carnaval especial para comemorar 35 anos de história. Os ensaios do bloco acontecem às terças-feiras no Pelourinho - conhecida há 25 anos como Terça da Bênção – e aos domingos, para alegria de baianos e turistas. “Esse é um ano especial para o Olodum. Também estamos comemorando 26 anos da gravação do LP Egito Madasgascar, o primeiro disco do grupo e que é considerado o primeiro álbum de samba-reggae do mundo”, diz o presidente do bloco, João Jorge Santos Rodrigues.

Os ensaios às terças-feiras começaram no dia 7 de janeiro, tendo como convidados na ocasião Pablo, Saulo e Daniela Mercury. Nesta terça (21), a partir das 20h, os convidados são Armandinho, Filhos de Jorge e Gilmelândia, com ingressos a R$50. Nos domingos, na Praça Tereza Batista, a percussão do grupo se encontra, junto com o balé para treinar e executar o que será apresentado no Carnaval do Olodum. Em 2014, o bloco homenageia Gana, país localizado na África Subsaariana.

Malê Debalê – Com o tema “Malê Debalê: 35 Anos Quebrando Paradigmas”, o grupo cultural Malê Debalê rememora a história do bloco, criado em 1979 por moradores de Itapuã que queriam ver o bairro representado na folia momesca. O grupo hoje possui aproximadamente 3 mil integrantes, sendo 150 percussionistas e quatro maestros, além de 1,5 mil dançarinos – o que possibilitou receber do Jornal New York Times o título de “O maior ballet afro do mundo”.

Os ensaios também acontecem aos domingos, na quadra localizada na Lagoa do Abaeté, a partir das 18h. No último domingo (19), o cantor, compositor e percussionista Carlinhos Brown foi o convidado ilustre do 35º Festival de Música Malê. No próximo dia 16 de fevereiro, será realizado o 35º Concurso Negra e Negro Malê, que vai escolher os destaques do carro alegórico do bloco.

Muzenza – Desde outubro, os tambores do Muzenza agitam a Praça Tereza Batista, no Pelourinho, com os ensaios de verão repletos de convidados sempre às sextas-feiras até o Carnaval, a partir das 20h e ingressos a R$20 (inteira). O bloco também marcou presença na segunda noite do Réveillon Salvador 2014, na Praça Cayru, no Comércio.

Criado em 1980 no bairro da Liberdade, como forma de homenagear o ícone da música reggae Bob Marley, o Muzenza é um dos mais tradicionais blocos afros de Salvador. Possui cerca de 2,5 mil integrantes e em 2014 traz o tema “Bahia, Nação Africana”. Assim como o Olodum, é conhecido pela intensa batida do samba-reggae e por revelar músicas de sucesso, como Swing da Cor e Brilho e Beleza, interpretadas pelas cantoras Daniela Mercury e Gal Costa, respectivamente.

Cortejo Afro – Também conhecido como “Elegantemente Sofisticado”, o bloco Cortejo Afro é um dos mais novos de Salvador, mas já é conhecido pelas releituras de sons e ritmos, além da riqueza no figurino e coreografia repleta de elementos da cultura afro. Criado em 1998 na comunidade de Pirajá, as apresentações no Carnaval renderam nos últimos dois anos o Troféu Dodô e Osmar por Melhor Fantasia e, em 2013, o Troféu Castro Alves na categoria Melhor Bloco Afro.

Os ensaios de verão acontecem sempre às segundas-feiras, às 21h, no Largo Pedro Arcanjo, no Pelourinho. O convidado desta segunda-feira (20) é o cantor Jau, que despontou para o sucesso através do bloco Olodum. O tema do bloco este ano é “Os Olhos de Xangô”, orixá da justiça, do Fogo, patrono dos juízes e advogados.

Fonte: Agecom

You Might Also Like

0 comentários